fritos na hora
amy

Nota do pasteleiro: 3/5

Amy – 2015

Não sou fã da cantora Amy Winehouse, conhecia alguns poucos sucessos dela, e gostava muito da sua voz, achava que lembrava um pouco aquelas cantoras de jazz das antigas que sabiam por emoção na voz. Quando saiu um documentário contando um pouco sobre sua curta carreira resolvi assistir para conhecer um pouco mais sobre ela, e entender um pouco sobre os motivos dela ter caído no mundo das drogas e do álcool.

Bem o seu inicio de carreira pareceu bem comum, um dia em uma apresentação com uma amiga ela acaba despertando a atenção por conta de sua voz, daí para frente a sua vida de filha abandonada pelo pai, e a sua paixão por um babaca que ela conheceu no seu bairro acabam sendo a receita para ela ir cada vez mais ao fundo do poço.

Uma vida estragada

Assistindo ao documentário parece que somos telespectadores de um filme que sabemos o final, a forma como Amy vai caindo num penhasco sem volta, parecendo só as vezes que a sua lucidez vai emergir, mas novamente se afundando em seus vícios.

Com um pai como esse

É realmente um retrato perturbador da cantora, em especial quando vemos as cenas com o pai dela, ou a relação dela com o namorado, que parecia ser um cara muito escroto, inclusive em um dos depoimentos dele, no qual ele diz que está melhor sem ela, que ele conseguiu ficar limpo e ela não, o tipo de coisa que só um babaca falaria, tem em vista o tanto que ela o ajudou.

Eu gostei do documentário, achei ele bem interessante, porém em vista dos outros candidatos achei meio absurdo ele vencer o Oscar de melhor documentário, já que está bem aquém do outros competidores em termos de relevância.

Postado por: Fábio Campos
Frito em 29 de março de 2016
0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *