fritos na hora
maxresdefault

Nota do pasteleiro: 3/5

Homem Formiga – 2015

O pessoal deve estar surpreso pela demora para sair essa resenha do Homem Formiga, afinal eu como fã da Marvel já devia ter falado do longa faz tempo né? Pois é galera acabei me enrolando aqui, e por isso não publiquei antes, não tem nada a ver com a qualidade do filme que nem é de todo mal, foi mais por conta de tempo mesmo.

Pois bem, “Homem Formiga” foi a aposta da Marvel para 2015, no ano passado foi “Guardiões da Galáxia” e em 2016 “Doutor Estranho”, pois bem o filme é estrelado pelo Paul Rudd e antes mesmo de ser produzido já rolou um baita stress por conta da troca da direção se antes era o Edgar Wrigth que fazia anos que tava lambendo o filme, acabou que a relação dele com a Marvel não foi das melhores e o Peyton Reed assumiu a bucha, é claro que o filme acabou sentindo isso, e muitas cenas acabaram sendo o inicio da piada de um, com o termino de outro, por isso algumas sequencias ficaram meio aquém do esperado na minha opinião.

Agora só me resta fazer filme de herói

A história do longa para quem ainda não conhece nos apresenta Scott Lang um ladrão, de um crime só, que ao tentar realizar um outro roubo, acaba se deparando com o uniforme do Homem Formiga, que estava protegido no cofre do inventor do traje Hank Pym (Michael Douglas), bem como era de se esperar o ladrão acaba se metendo em uma enorme confusão, e tendo que assumir o manto que já foi do Pym.

Agora que falei um pouco da produção e da história do filme vamos falar de quadrinhos, primeiro tenho que dizer que nos quadrinhos o Homem Formiga original também o Hank Pym, tá certo que ele não tá tão velhaco como no filme, e nem tem uma filha chamada Hope (Evangeline Lilly), além disso o Hank dos quadrinhos é um cara bem problemático, tendo inclusive batido na esposa dele a Vespa, mas claro que a dona Disney não ia botar essas coisas no filme né? Por isso deram uma suavizada e ainda apostaram no Scott Lang como protagonista. Fora isso o Hank tem uma importância muito grande na história dos Vingadores, já que além dele ser um dos membros dos Vingadores ele foi o criador do Ultron.

Queria encolhi o super heroi

Pulando um pouco essa parte da história quadrinista da Marvel, vou falar um pouco do filme, o Paul Rudd está muito bem no papel central, ele tem um carisma que cola bem para a Marvel, o Michael Douglas também cai bem como mentor, a única que parece meio travada é a Evangeline Lilly que parece ainda meio engessada no papel, o vilão da história interpretado pelo Corey Stoll tem uma motivação desnecessária, sei lá porque, mas hoje em dia parece que os empresários capitalistas se tornaram os novos nazistas dos filmes de ação. Um ponto positivo é o Luis (Michael Peña) que rouba a cena sempre com suas colocações cômicas.

Já sei o vilão faz a mesma coisa, mas com uniforme mais cruel

Em relação ao universo Marvel existem várias ligações, como a menção aos Vingadores, e a luta entre o Falcão (Anthony Mackie) e o Homem Formiga um dos melhores momentos em termos de ação, juntamente com a luta no ferrorama. A cena pós-créditos nos entrega um pedaço do que podemos esperar em Guerra Civil, com todos os heróis lutando um contra o outro.

No geral o filme funciona bem, tem alguns escorregões como a parte da formiga ter crescido de tamanho ou o vilão ser caricato demais, mas como uma comédia/ação gênero que a Marvel explora tão bem ela funciona demais, vamos esperar que essa formula não se desgasta até vermos o que vai acontecer ao final dessa epopeia cinematográfica que fechará com os dois últimos filmes dos Vingadores.

Postado por: Fábio Campos
Frito em 23 de março de 2016
0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *