fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Mesmo se nada der certo (2014)

Tem alguns filmes que conseguem, com uma história simples, chamar a atenção, e isso sem fazer uso de cenas tristes ou romances impossíveis. A receita nem um pouco complicada é apostar em uma história de redenção com personagens interessantes.

Mesmo se nada der certo” é um desses casos, de um filme que deu certo! Contando a história de uma cantora (Keira Knightley) que após ser abandonada pelo namorado, acaba conhecendo um produtor musical fracassado (Mark Ruffalo) que está no pior momento de sua carreira.

Como disse um pouco acima, o filme não é original, ele tem vários elementos que provavelmente vocês já viram outras vezes, porém ele consegue prender a atenção com personagens carismáticos, e arrisco dizer que Mark Ruffalo atua tão bem que o seu charmoso perdedor atrai toda a atenção do filme. Já Keira, que convenhamos não é nenhuma Meryl Streep, está mais discreta, porém funciona bem na trama.

Vale destacar a trilha sonora que é ótima, quem é fã de música vai adorar. Fica minha dica para quem está atrás de um drama muito bom e que não fica tentando fazer você chorar o tempo todo.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 30 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – They Came Together (2014)

They Came Together conseguiu uma façanha, em pleno final de 2014, após eu ter visto mais de 200 filmes, ele conseguiu o posto de pior coisa que vi esse ano! Sei que eu falo muito mal de alguns filmes aqui, e algumas pessoas podem achar meu tom exagerado, porém nesse caso recomendo sinceramente que me escutem, por favor, para o bem do seu tempo: Fujam.

Pode ser que vocês fiquem tentados por conta dos nomes de atores conhecidos como o Paul Rudd e a Amy Poehler que podem chamar a atenção para essa comédia, mas recomendo que não se enganem. O filme que promete em sua sinopse contar a história de como um casal se conheceu, logo em seu início ja vai se mostrando uma bomba e quando começa a descer a ladeira, meu amigo e minhas amigas se preparem, é só baboseira, cenas toscas, e dá vergonha alheia de quem está ali tentando atuar de tão ruim que é! Pode parecer precipitado, mas acho que foi um dos piores filmes que vi na minha vida, e falo isso sem ser “mimimi”.

Confiem em mim e vão me agradecer. Para enfatizar novamente eu não recomendo! Eu ainda ressalto, para vocês terem uma noção do quanto o filme é ruim, eu ria, não por achar graça, mas porque eu não acreditava como uma coisa daquela foi produzida. Esse filme devia com certeza vir com um aviso dizendo que no tempo em que você for assistir isso poderia estar lendo um livro ou fazendo trabalho voluntário.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 29 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Arremesso de Ouro (2014)

Gosto muito de filmes de esporte, está certo que eles sempre tem aquele roteiro básico de superação no qual algum esportista começa desacredito e aos poucos se levanta, até se consagrar campeão no final da história. Essa formula apesar de manjada ainda me atrai.

Além de querer ver um filme de superação, o que me fez optar pelo “Arremesso de Ouro” foi o John Hamm, sou fã dele pela série “Mad Men”, e por isso sempre que o vejo em algum trabalho diferente gosto de conferir. Aqui ele interpreta um agente fracassado que após um acordo com um empresário para salvar seu negócio, aceita ir à Índia em busca de um possível talento para o mundo do beisebol.

Como disse acima, em filmes assim todo mundo sabe o final, e ainda quando a Disney está por trás é quase certo um final feliz, esse filme não é nada de diferente do que todo mundo já esperava. Por se basear em uma história real é interessante perceber que o que é contado termina em um momento conveniente e omitindo fatos, como por exemplo que ambos os jogadores que são selecionados para a liga fizeram pouco sucesso e se tornaram estrelas somente na Índia, mas esse efeito maquiagem que dão na história é comum então não chega a incomodar.

Para mim o filme serviu como passatempo, não é nada brilhante e no elenco se salva ainda o personagem do Alan Arkin, que está muito bem no papel de um olheiro veterano que além de dar os momentos de sabedoria da história, ainda tem um tom de comédia muito bom. Em relação aos atores indianos, vocês com certeza já viram em outros filmes sobre o assunto, pois pelo que percebi o pessoal de Hollywood continua preguiçoso em procurar novas opções internacionais, então sempre que precisam de um cara de alguma etnia para um filme, vão nos rostos mais conhecidos. Recomendo para os fãs do gênero, serve para assistir em clima de Sessão da Tarde.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 28 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – O doador de memórias (2014)

Atualmente, as adaptações de livros têm se tornando cada vez mais comuns no cinema, “O doador de memórias” é mais um desses casos, com um elenco que conta com dois ganhadores do Oscar: Jeff Bridges e Meryl Streep, o filme se foca em uma sociedade futurista perfeita, na qual as pessoas vivem em harmonia, e de anos em anos os adolescentes são encarregados de suas futuras funções para com essa sociedade, em meio aos escolhidos um garoto (Brenton Thwaites) é escolhido para uma grande missão.

Eu acho que o que mais chama atenção no filme é o elenco, repleto de estrelas, além dos já citados, temos ainda Katie Holmes e o galã de True Blood Alexander Skarsgård, acho que por conta desses atores conhecidos fica impossível não esperar um filme bom. O início do filme já é bem interessante, a sacada de começar em preto e branco e depois ele ir dando cores ao longa conforme o protagonista vai descobrindo mais sobre o mundo real é muito boa.

O que me decepcionou é que em certo momento ele acelera muito, parecendo até que a história tinha que acabar logo, além disso é muito complicado entender a decisão de se ter no elenco uma atriz como a Meryl Streep e não utiliza-la tanto, se focando mais no núcleo jovem que não tinha uma capacidade de interpretação no mesmo nível. Vale a pena para passar o tempo.

Uma coisa que achei (e sei lá se fui só eu) é que o visual da tal “comunidade” do filme lembrou um pouco a do mundo dos espíritos do filme Nosso Lar.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 27 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – O lobo atrás da porta (2013)

Interessante que o cinema no Brasil que antes era muito limitado a histórias quase sempre sobre a violência urbana, favela, sexo e futebol, de uns anos para cá cada vez mais tem se arriscado em outros contextos e outras histórias que fogem dessas esferas.

O lobo atrás da porta” é um exemplo do que o cinema novo pode produzir, tendo como base um quarteto de atores conhecidos do público, o filme conta a história do misterioso desaparecimento de uma menina, e como por trás desse crime existe uma trama de amor e vingança.

Como disse, o elenco é bem interessante, tirando Milhem Cortaz que ultimamente está trabalhando muito, vide sua participação em Tropa de Elite e Alemão, para citar alguns filmes em que esteve, o resto dos atores são globais, como Leandra Leal, Fabiula Nascimento e Juliano Cazarré, que também são muito competentes.

Finalizando, em minha opinião o longa tem uma trama bastante densa, com uma história que consegue prender o público e me lembrou um pouco os suspenses coreanos que tanto gosto, só lamento que lá pela metade a história tenha parado de surpreender e focado mais no drama, nada que estrague o filme, mas que desacelerou um pouco o ritmo.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 26 de dezembro de 2014
0 comentários
NOVIDADES

Nota do pasteleiro: /5

PODCAST 1 – Aquele com o Natal na Pastelaria

Hoje é véspera de Natal e por conta disso a Pastelaria Filmes, resolveu presentear vocês com um podcast especial (ou espacial como está marcado na arte hauahua) de Natal no qual Fábio Campos e Luiz Fernando Pierotti discutem um pouco sobre os diversos filmes de Natal e aproveitam para zoar um pouco alguns atores que fizeram sucesso.

Quem quiser matar a curiosidade segue abaixo algumas coisas sobre as quais falamos no aúdio:

Nunca coloque a mão em ninguém desconhecido no Banheiro (Te Pego Lá Fora)

Bill Murray em “Os Fantasmas Contra-Atacam

Jim Carrey ganhando uma grana fácil

Esqueceram de Mim – Você já viu isso na Sessão da Tarde

O Estranho Mundo de Jack – Cadê o Johnny Depp?

Duro de MatarBruce Willis e sua eterna camisa branca

Um homem de Família – Um pouco antes dele destruir a carreira dele

Se você está vestido de Urso em um filme sério, grandes chances disso ser uma merda – Nicolas Cage em O Sacrifício

Nicolas Cage e Tim Burton em um dos melhores filmes que ainda bem que não saíram do papel

História do Superman pelo Kevin Smith

Gostou? Adorou? Tem um monte de erro e nomes errados? Tipo X-Men: O CONTROLE FINAL? Escreva nos comentários, você também pode dar sua opinião sobre os filmes que deveríamos ter falado, ou defendendo o Nicolas Cage.

Postado por: Fábio Campos
Frito em 24 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Três vezes amor (2008)

Ryan Reynolds é um ator que, para mim, deve ficar preso a comédias românticas, é onde ele funciona melhor, nos filmes de ação ou que exigem um poucos mais de carga dramática ele simplesmente não se sai bem, mas quando atua no papel de bobão engraçadinho ele até que consegue ter sucesso, um exemplo é essa interessante comédia chamada “Três vezes amor”.

O filme conta a história de um pai (Ryan Reynolds) que resolve contar à sua filha (Abigail Breslin) como ele conheceu a sua mãe, porém ele conta sobre três mulheres que marcaram sua vida, e no final a menina tem que adivinhar quem é sua mãe. Eu achei que a trama que poderia cair no bobinho-sentimental acaba se sustentando com um elenco bem interessante, recheado de boas atrizes como Elizabeth Banks e Rachel Weisz que se encaixaram bem no filme.

Para quem está buscando uma boa opção de comédia romântica sem ser apelativa e cheia de clichês, fica aqui umaboa dica, e ainda de quebra vai ganhar o mistério de descobrir quem é a mãe da menina.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 22 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – A volta dos mortos vivos (1985)

Hoje em dia o zumbi se tornou pop fazendo transbordar filmes e séries com essa temática, alguns até de bastante sucesso como The Walking Dead, série baseada nos quadrinhos do mesmo nome. Porém, não é a primeira vez que essa popularização acontece, lá nos anos 80, com influência das obras de George Romero, a temática teve uma grande alta e foi exatamente nesse período que surgiu o primeiro filme de uma franquia chamada “A volta dos mortos vivos”.

Dirigido por Dan O’Bannon o longa tratou a figura dos zumbis como resultado de um experimento do governo que acabou esquecido em uma funerária de uma cidadezinha do interior., uma noite, um dos engradados com esse experimento, um gás desconhecido, vaza e passa a reanimar os mortos que entram em contato com a substância; A partir daí uma série de situações bizarras e mortes sangrentas se dá inicio, cenas que na época até poderiam parecer violentas, mas que hoje são facilmente elencadas na categoria de filme B.

Desconsiderando o fator tempo, afinal já se foram quase 30 anos, a trama é bem simplista, apelando bastante para um humor negro e com elementos bem clichês dos anos 80, como gangues e drogas. Um dos melhores momentos do filme é quando os mortos saem dos túmulos e atacvam os jovens “transgressores” que passeavam pela noite,assim como um dos momentos mais cômicos é quando zumbis, em posse de um telefone, pedem para que enviem mais médicos para eles (que se alimentaram dos anteriores). Vale a pena para os saudosistas e os fãs de filmes de terror B, para quem está acostumado com os efeitos de hoje em dia talvez não se entusiasme com esse clássico do terror.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 21 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Children (2011)

Existem mistérios que vivem por séculos, casos de pessoas que somem e seu paradeiro nunca é descoberto, e a cada dia há mais interesse por esse tipo de história, a maior prova é um canal do grupo Discovery focado justamente nesses tipos de acontecimento.

Children” é um filme baseado em fatos reais sobre o um famoso desaparecimento de cinco crianças na Coreia do Sul, apesar da recente descoberta de seus ossos, nunca encontraram o culpado.

O que eu achei interessante sobre o filme é que ele busca analisar a história em diversos pontos de vista, primeiro de um repórter ambicioso que enxerga na situação uma chance para se promover, depois por um professor arrogante que acredita saber quem são os culpados e por fim os pais de uma das crianças que escondem um triste segredo.

O longa é bem denso e demorado, o tom nos primeiros momentos parece com o de um suspense que promete diversas reviravoltas, porém aos poucos ele vai se acalmando cada vez mais até se torna um drama bem depressivo. O interessante também são as teorias que aos poucos vão se levantando para a solução do crime.

Não recomendo o filme para qualquer um, mas ele é uma boa opção para quem curte essa linha de dramatização de crimes. Só aviso que o “Children” não é um suspense e sim um drama, então não vá assistir esperando um mistério à ser solucionado.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 20 de dezembro de 2014
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Vizinhos (2014)

Como disse em uma das minhas resenhas lá atrás, o Zac Efron vem tentando ano após ano conquistar seu espaço no cinema, ele tentou com filmes mais dramáticos, depois romances, ai começou a se arriscar na comédias sendo a primeira “Namoro ou Liberdade”, uma história que buscava atingir o público masculino. Agora aposta em uma comédia mais família, que conta no seu elenco com dois atores veteranos, Seth Rogen e Rose Byrne.

Não sou muito fã de comédia, mas achei interessante a história do conflito de gerações entre um casal que foi muito festeiro e agora tem uma filha, vizinhos de uma galera jovem, nesse caso uma república repleta de adolescente descerebrados.

Em relação à graça do filme, ele vai daquele humor tonto que parece que tomou conta das comédias americanas atuais, à situações muito engraçadas como a festa em homenagem ao Robert DeNiro (para mim um dos melhores momentos do filme).

Para quem está interessado em uma comédia mais desbocada e que abusa um pouco de cenas de sexo e drogas, pode se arriscar com “Vizinhos”, não é o tipo de filme que você vai querer assistir em família, mas que com certeza os pais mais moderninhos vão adorar.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 19 de dezembro de 2014
0 comentários