fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – 007: Quantum of Solace (2008)

Nunca fui fã do James Bond, sempre achei os filmes com ele legais, mas nada de inovador. Respeito a história e reconheço que ele contribuiu muito para os longas de ação, talvez por isso tenha demorado tanto a assistir “Quantum of Solace”. Tinha assistido “Casino Royale” faz um tempinho, e não achei interessante o suficiente para me empolgar com a continuação.

Foi com muita surpresa que vi que o filme, ao contrario dos outros da franquia, tem uma certa continuidade, inclusive remetendo a coisas que aconteceram no primeiro filme e não ficaram bem explicadas, um ponto positivo, pelo menos para mim que adoro quando os roteiristas sabem trabalhar bem com isso.

Em relação ao elenco, o destaque fica por conta do competente Daniel Craig, que novamente dá a impressão de ser um agente secreto que prioriza a força bruta a violência.

Vale destacar no cast feminino a bela Olga Kurylenko, que se sobressai pela sua beleza.

Para mim o ponto fraco do filme é Mathieu Amalric que em nenhum momento convence como vilão.

Concluindo, este longa me empolgou com as histórias do James Bond e adorei a construção que o personagem teve ao longo dos dois filmes, e por fim, o amadurecimento que ele sofreu ao longo das tramas.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 30 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – A ilha do tesouro (2012)

Piratas no Caribe” serviu para trazer as histórias dos piratas para muitas crianças que não conheciam esses lendários ladrões, que por anos assombram as águas, roubando e matando em troca de ouro. Claro que a versão da Disney é bem mais romantizada com os personagens mais suavizados e um final feliz garantido.

A ilha do tesouro” é mais um longa que explora um pouco esses elementos tão singulares, contado de um ponto de vista que não abusa da fantasia e com um roteiro construído em cima das lendas sobre os tesouros que os piratas escondiam. O filme é baseado no livro de Robert Louis Stevenson, que também é o escritor do clássico “O médico e o Monstro”, essa não é a primeira versão dele para as telinhas, sendo já levado para o cinema e transformado em série em outras ocasiões.

A história é sobre Jim Hawkins (Toby Regbo) um garoto simples, filho do dono de uma hospedaria que acaba criando uma amizade com um ex-pirata e acabam descobrindo através de um mapa que existe uma ilha com uma grande quantidade de ouro enterrada, e resolve então, juntamente com seu amigo médico Dr. Livesey (Daniel Mays) partir em busca do tesouro. O que ele não contava é que teriam de enfrentar a ganância de um nobre inglês e ainda outros piratas que estavam atrás do mapa, liderados pelo cruel John Silver (Eddie Izzard).

O filme é extenso, porque foi produzido como uma minissérie então são quase três horas de duração, mas a história tem um ritmo tão bom e cheio de reviravoltas e situações que nem percebe-se o tempo. Vale destacar a brilhante caracterização de Eddie Izzard que eu conhecia da série “Richies”, ele de fato parece um pirata e o jeito como ele fala deixa claro que ele é um ser humano manipulador.

Vale a pena para quem está atrás de um bom filme de aventura, em especial se gosta de piratas. Mas já aviso que a história do longa é mais crua sem tantos floreios e cenas bonitas como os filmes da criadora do Mickey costumam ter.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 22 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Muppets (2011)

Conheci os “Muppets” através do desenho que passava todo dia de manhã no SBT, então não conhecia muito bem os fantoches, sabia da fama que tinham e só fui assistir algum filme com eles anos depois, apesar de sempre achar bem bobinho.

Essa nova versão realizada em 2011 que conta com a presença de Jason Siegel e Amy Addams, vem com a proposta de deixar os personagens com um tom mais legal, afinal as crianças que passaram a infância acompanhando Gonzo, Miss Piggy, Caco e Fozzie cresceram e ainda se lembram deles, então é possível perceber que o tom do filme foi uma mescla, para agradar os fãs antigos e para conquistar novos.

A história é bem simples, os Muppets tem que se reunir novamente para impedir que o teatro em que atuavam seja demolido. Nesse universo, ao que parece, fantoches e humanos convivem naturalmente, então é possível em diversos momentos presenciar tal interação.

Eu achei o filme bem divertido, nada que me faça chorar de rir, mas se vende como entretenimento, isso considerando que não sou fã dos personagens. A parte musical é um show a parte e o elenco estelar com a participação hilária do Jack Black é uma de suas cenas mais engraçadas considerando seus filmes de uns anos pra cá.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 21 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Apenas uma noite (2010)

Até onde uma traição pode machucar alguém? Quando trair deixa de ser uma coisa carnal e se torna sentimento? Em “Apenas uma noite” um casal passa por uma crise quando Michael (Sam Worthington) tem de deixar a esposa Joanna (Keira Knightley) para ir em uma viagem de negócios com uma bela companheira de trabalho, aqui interpretada pela estonteante Eva Mendes. Sozinha pela cidade, Joanna acaba encontrando Alex (Guillaume Canet) um antigo namorado com quem viveu uma história de amor.

O interessante de “Apenas uma noite” é a forma como os relacionamentos são tratados, existe ali aquele claro conflito entre culpa e desejo, uma fina barreira que pode ou não ser ultrapassada pelos protagonistas, e que podem criar emoções diferentes em cada um. Assim sendo, ele se parece muito com “Closer“, um filme também muito maduro sobre relacionamento que não recheia as histórias de amor, mostrando seu lado mais cruel.

Se você está com suspeitas de alguém que ama, ou mesmo se está com dúvidas de estar com a pessoa certa “Apenas uma noite” serve como uma forma de tapa na cara, que vai te deixar incomodada. Eu sou fã de “Closer” então tenho que dizer que recomendo e muito filme, mas já aviso que não é uma história com final feliz.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 20 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Conspiração Americana (2010)

A história sobre Lincoln sempre para no seu assassinato, nunca tinha visto um filme que mostrasse o que houve depois, quem foi condenado, se o assassino foi pego, se houve um julgamento, provavelmente todo morador dos Estados Unidos deve conhecer o destino de todos os envolvidos de cor, mas nós que não somos familiarizados com a história de lá, ficamos um pouco curiosos. Em “Conspiração Americana” somos apresentados ao julgamento de uma das pessoas envolvidas no crime, a viúva Mary Surratt (Robin Wright). Segundo a polícia da época, ela foi uma das participantes da conspiração que planejou o assassinato do presidente e diversos membros do governo.

O filme tem um aspecto de tribunal muito interessante se assemelhando em muito com aqueles roteiros de filme em que um advogado tem que provar a inocência de alguém condenado injustamente. Nesse caso ainda temos uma aula de história no processo conhecendo um pouco mais sobre os bastidores do crime na época e a forma apressada com que o crime foi julgado.

A direção do filme foi feita pelo brilhante Robert Redford, que escolheu para o papel do advogado e protagonista da trama o ator James McAvoy, nem preciso dizer que ele entrega uma bela interpretação, sabendo dosar os preconceitos inicias do seu personagem com o senso de justiça que ele vai formando. Um bom filme para quem gosta de história, e um melhor para quem gosta de filmes de tribunais.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 19 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Academia de Gênios (1985)

Academia de Gênios” faz parte daquela lista de filmes que nos anos 80 marcaram uma geração, como “O clube dos cinco”, “A garota de rosa choque”, “Curtindo a vida Adoidado”, entre outros. Está certo que o longa não fez tanto sucesso como esses, afinal, ao contrário dos outros, não tinha um apelo de rebeldia tão forte, sendo mais uma comédia com pequenas doses de política e crítica ao governo, mas mesmo essas devidamente contidas.

Como protagonista temos um jovem Val Kilmer que faz o papel de um brilhante estudante, que não quer saber mais de estudar, e está na faculdade só para aproveitar. Tendo que dividir o quarto com um jovem gênio mais novo (Gabriel Jarret) os dois se tornam amigos, e tem que juntos obedecer as ordens do corrupto professor Jerry Hathaway (William Atherton) que secretamente tem um acordo com o exército para desenvolver armas.

A trama é bem típica da época com várias menções a sexo, mas nesse caso sem nada tão explícito, também existe aquela velha rixa entre as autoridades e os jovens, e os absurdos fantásticos, aqui representados pelo dormitório congelado, o transmissor no dente e a cena da explosão das pipocas. Não é o melhor daquela época, mas vale a pena para quem é fã de filmes assim, e serve para matar a saudade de muita gente.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 17 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – A vida dos outros (2006)

Durante momentos de opressão, vários são os heróis comuns do dia a dia que arriscam suas vidas pelos outros, e acabam esquecidos em virtude de outros atos maiores. Em “A vida dos outros” um agente da polícia secreta tem a missão de descobrir se um famoso escritor da Alemanha Oriental é ou não um patriota, essa simples tarefa acaba se tornando bem mais complicada quando ele se envolve com as pessoas que tem de vigiar.

Devo dizer que o filme é longo, mas tem uma história tão intensamente construída que de pouco em pouco assim como o protagonista, vamos também criando uma ligação com as pessoas que ele vigia e acabamos torcendo por elas, esperando que tudo acabe bem. É de se impressionar que os alemães apontados por muitos como pessoas tão frias, tenham entregado um filme tão cheio de significados como esse.

Essa qualidade do filme foi atestada pelo Oscar que ele recebeu em 2007 como melhor filme estrangeiro, um prêmio que de fato foi merecido. Para os que vão assistir, recomendo paciência pois o longa tem uma trama que demora a se engrenar, mas quando a faz, consegue de maneira brilhante. Vale ainda destacar o talento do ator Ulrich Mühe que consegue passar bem a imagem de homem dividido entre seus sentimentos e seu emprego.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 16 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – Upside Down (2012)

Criatividade é a primeira coisa que me vem a cabeça ao assistir o interessante “Upside Down”, uma espécie de romance misturado com ficção cientifica.

O filme é sobre dois universos que vivem um sobre o outro. Enquanto no mundo de baixo todos são pobres, no universo de cima vive a elite. Além disso, o que separa os dois mundos é a gravidade. Porém, mesmo com todas essas barreiras os jovens Eden (Kirsten Dunst) e Adam (Jim Sturgess) desenvolvem uma amizade e acabam se apaixonado. Após um acidente eles são separados e ela acaba esquecendo-se do amor do seu passado. Anos se passam e a obsessão de Adam por encontrar a mulher que ele ama, o faz descobrir uma forma de unir os dois mundos.

Devo confessar que a história de duas pessoas diferentes se apaixonando é um clichê do cinema, nem preciso entrar nesse aspecto, mas a forma como os dois mundos são apresentados é muito bonita, é difícil explicar com palavras, mas visualmente é impressionante ver as cenas em que os atores interagem entre si.


Se você curte uma ficção cientifica ou mesmo gosta de boas histórias de amor, vale a pena assistir esse filme, o elenco tem poucos atores conhecidos, e talvez por ser uma produção francesa não tomou o destaque aqui no Brasil.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 14 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – O dobro ou nada (2012)

Eu acho que para muita gente essa comédia acabou não emplacando. Talvez por ser muito simplista, com um elenco recheado de bons atores, acho que muitas pessoas esperavam demais da história.

Na trama, Bruce Willis é um agente de apostas que contrata uma ex-dançarina para lhe ajudar, esta interpretada pela bela Rebecca Hall. Eles criam uma relação que fica entre a fraternal e amorosa, essa aproximação entre eles desperta a atenção da mulher dele, a ciumenta Tulip (Catherine Zeta-Jones).

O filme é bem rápido e dinâmico, um ponto que considero positivo, afinal não era uma história que teria fundamento para ficar se desenvolvendo mais, além disso, apesar de não ser uma boa comédia ela é melhor se encarada como uma história de romance com reviravoltas e alguns momentos de humor.

No elenco vale destacar além do Bruce e da Catherine a presença do Vince Vaughn fazendo mais um dos seus papeis caricatos. Um bom filme para passar alguns anos na Tela Quente, com todas aquelas chamadas com nomes de atores.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 13 de agosto de 2013
0 comentários
fritos na hora

Nota do pasteleiro: /5

FRITOS NA HORA – O amante da rainha (2012)

Sempre existiram os sonhadores, pessoas que ousaram acreditar que poderiam mudar o mundo e deixá-lo melhor. Vários quando subiram ao poder de fato o fizeram, outros se venderam e assim mostraram corruptos.

Em “O amante da rainha” somos apresentados a história de Johann Friedrich Struensee (Mads Mikkelsen) um médico liberal que cria um laço de amizade com o perturbado rei da Dinamarca Christian VII (Mikkel Boe Følsgaard), através dessa relação ele acaba conhecendo a frustrada rainha Caroline Mathilde (Alicia Vikander), uma mulher que foi sufocada pelas excentricidades do marido, por quem ele se apaixona.

Em meio a esse triangulo amoroso acontece começa a surgir no governo diversos pensamentos liberais, alimentados por Johann na corte.

O filme não é brilhante, eu particularmente o achei menos arrastado que o chato “Anna Karenina” e, além disso, conta no elenco com o ótimo Mads Mikkelsen um dos meus atores do momento favoritos.

Recomendo para quem gosta de tramas politicas com um pouco de romance, apesar de a história ser sobre um romance impossível é muito legal ver uma vertente politica que foi inserida na história.

Escrito por Fábio Campos

Postado por: Fábio Campos
Frito em 12 de agosto de 2013
0 comentários