PASTEL DE QUEIJO

Nota do pasteleiro: /5

PASTEL DE QUEIJO – O embuste da Morte



A cena pastel de hoje é aquela da morte arranjada. É isso mesmo, daquele filme que você está vendo e, de repente, no meio da história, ou nos quinze minutos finais, o protagonista ou algum personagem importante do filme morre. Muitas pessoas já percebem logo de cara que aquilo é um embuste, ou seja, o cara não morreu coisa nenhuma! Abaixo vou listar alguns casos de filmes que têm essa cena. Detalhe: a maior parte das vezes o que salva as pessoas de morrer é o colete a prova de balas.



Copycat – A vida imita a morte: Esse filme, para quem não assistiu, é sobre um psicopata que mata as pessoas imitando crimes de serial killers como Teddy Bundy. Lá pro final do filme, o assassino, que se mostra um idiota de marca maior, está reconstruindo a cena antes de matar a psicóloga. Eis que entra a policial! Ele, muito astuto, após uma briga com ela, dispara diversos tiros na mesma, e parte atrás da psicóloga que fugiu. Eis que quando ele vai desferir o golpe fatal, recebe diversos tiros e morre, e então descobrimos que a policial na verdade não morreu. Adivinhem só… ela estava de colete.







As Panteras – Detonando: Na cena em questão, as três personagens são alvejadas pela terrível vilã interpretada pela Demi Moore e, claro, depois de atirar ela não confere os corpos. É lógico, então, que as mocinhas estão vivas e, novamente, o colete foi o responsável.







Débi & Loide: Essa cena também foi usada em filmes de comédia. Queem lembra bem disso sabe: lá pelo final do filme o personagem Debi entra no quarto para resgatar Loide e a moça seqüestrada, quando o bandido vem e dispara diversos tiros contra o mesmo. O engraçado é depois quando Loide questiona Debi: ele podia estar usando o colete, tudo bem, mas como ia saber se o cara não iria atirar na sua cabeça?





Batman (Tim Burton): Nesse filme o Coringa invade a casa do magnata Bruce Wayne, interpretado pelo baixo e sumido ator Michael Keaton, e após uma discussão desce a bala no pobre Bruce, que com toda sua genialidade de Batman se protegeu com uma bandeja debaixo da rouba. Estranho foi o Coringa não reparar que o cara não sangrou.





Senhor dos Anéis: Nesse filme tivemos duas cenas assim: após Gandalf cair num precipício com um demônio, achamos que ele morreu… Que nada! O bom velinho (com todo respeito ao Papai Noel) volta mais forte e agora todo de branco. Acontece o mesmo com Aragon mais para frente, excetuando-se a parte da roupa branca.





Batman – Cavaleiro das Trevas: Esse é o filme mais recente do morcegão e o que vou falar pode até ser considerado spoiler para alguns, mas é uma coisa meio obvia: após um atentado contra a vida do prefeito, ato orquestrado pelo Coringa, o policial Jim Gordon é ferido. Claro que lá pelas tantas acabamos descobrindo que tudo foi um truque do policial com o Batman.







Maquina Mortífera 3: Aqui Lorna (Rene Russo), lá pro final do filme, toma um tiro. O preocupado namorado dela, Tenente Riggs, descobre que estava tudo bem, pois ela estava com o colete. O engraçado é que o filme era sobre isso, os bandidos faziam armas que perfuravam o colete! Sorte dela que não foi um desses tiros que a acertou.





Pânico 3 – No final da trilogia, quando o assassino acredita ter matado a eterna vitima Sydney (Neve Campbell), a mesma mostra que está usando o famigerado colete. Ela, então, se mostrou uma das vitimas mais difíceis de se assassinar em filmes de terror. Afinal, até Freddy Krueger, Jason e Michael Myers tiveram êxito em matar as suas antagonistas.







De Volta para o futuro 3 – O personagem Marty Mcfly também usa o truque da placa de metal no peito e assim foge da morte no duelo que trava no Velho Oeste. Detalhe que a cena remete ao filme Por um Punhado de Dólares. Está certo que o tempo em que a gente acredita que ele morreu é curto, mas já pode constar aqui.








Postado por: Fábio Campos
Frito em 30 de setembro de 2008
0 comentários
PASTEL DE BANANA

Nota do pasteleiro: /5

PASTEL DE BANANA – Johnny Deep

Bem, esta semana o pastel de banana já é conhecido por certas pessoas: foi um momento do início da carreira de um ator que está entre os melhores da atualidade. No histórico dele podemos contar três indicações ao Oscar na categoria de melhor ator: por Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra, em 2003; À Procura da Terra do Nunca, em 2004 e por “Sweeney Todd: O Terrível Barbeiro da Rua Fleet” em 2008.

Logo no início de carreira, Johnny Deep fez uma participação na série de filmes de terror “A Hora do Pesadelo”, o primeiro. Na cena em questão, Glen Lantz (Deep) é morto enquanto ouve música no quarto. A cena não é assustadora, é até, de certo modo, cômica. Não sei qual o tipo de sangue do ator, mas pelo que acontece na cena seria possível para ele suprir o estoque do banco de sangue de uma cidade inteira.

Para quem a está curioso sobre “A Hora do Pesadelo”, o primeiro dos muitos filmes do maníaco Freddy Krueger, a sinopse, já bem conhecida, está aqui:


A história se passa com 4 adolescentes: Nancy Thompson,Tina Gray, Rod Lane e Glen Lenitz. Todos são atormentados por horríveis pesadelos com o maligno maníaco e desfigurados Freddy Krueger, um assassino de crianças e adolescentes que morrera queimado. Enquanto esteve vivo, Freddy matou pelo menos 20 moradores da Rua Elm, utilizando-se de mortais garras de aço que construíra e acoplara em uma de suas mãos. Descoberto pelos pais, ele foi acuado e queimado vivo em seu antigo local de trabalho, uma caldeira abandonada. Mas seu espírito vingativo retorna e se manifesta nos pesadelos dos filhos de quem o matou. No ambiente dos sonhos, Freddy ataca os adolescentes, que só conseguirão sobreviver se acordarem a tempo. Se morrerem nos sonhos, acontecerá o mesmo na vida real. Nancy descobre a verdade sobre Freddy e tenta matá-lo novamente.


Postado por: Fábio Campos
Frito em 29 de setembro de 2008
0 comentários
PASTEL ESPECIAL

Nota do pasteleiro: /5

PASTEL ESPECIAL – Vampiros

Gênero: Filmes com Vampiros


Entrevista com Vampiro


Esse filme foi um marco do gênero, em minha opinião, e teve a presença de atores famosos como Brad Pitt, Antonio Banderas, Tom Cruise e a estreante Kirsten Dunst. O filme além de bem explorado conta com ótimas atuações dos atores. As cenas são empolgantes e a natureza humana dos vampiros é bem explorada, é dramático ver a cena de Claudia sendo morta. O tom de depoimento em que a história é contada lembra o filme Bons Companheiros, só que com uma dose sobrenatural. Se quiser ver um épico dos filmes de vampiro alugue esse entrevista com o vampiro, que além de abordar o tema de uma maneira diferente conta com a presença de diversos futuros astros.


Bem, essa semana é isso, na semana que vem estarei inaugurando uma nova coluna que será veiculada aos domingos, o Pastel Especial ficará junto com o Pastel de Jiló, isso tudo para dar espaço para Receita Caseira, uma nova abordagem do blog que vou testar.



Obrigado por me acompanharem essa semana.

Postado por: Fábio Campos
Frito em 28 de setembro de 2008
0 comentários
PASTEL DE JILÓ

Nota do pasteleiro: /5

PASTEL DE JILÓ – Vampiros

Gênero: Filmes de Vampiro

Um Vampiro no Brooklin

De filmes de vampiro o mercado está saturado, porém são poucos que se destacam. Nesse caso o filme teve um péssimo roteiro com uma história rasa. Eddie Murphy interpreta um vampiro que busca encontrar sua escolhida no bairro do Brooklin, não bastasse às situações forçadas e o forte apelo racial que o filme busca dar, a atuação de Murphycomo vampiro é péssima. Realmente faz tempo que este ator não acerta a mão, seus filmes são piadas sem graça e baseadas em conceitos escatológicos.

Postado por: Fábio Campos
Frito em 27 de setembro de 2008
0 comentários
FALTOU UM PEDAÇO

Nota do pasteleiro: /5

FALTOU UM PEDAÇO – A Passagem

A passagem


Esse filme eu vi essa semana, é complicado, eu que sou acostumado a adivinhar o final através dos clichês fiquei em dúvida do que iria acontecer, antes dos comentários:vai uma sinopse.

A história foca sua ação na luta desesperada de um psicólogo, que tenta evitar o suicídio de um de seus pacientes. Ele pretende se matar em três dias, após ter feito preocupantes previsões que se concretizam, tornando a jornada do doutor desesperada e aterrorizante.

Bem eu poderia descrever esse filme como uma junção do excelente “Sexto Sentido” com “Camisa de Força”. Durante o filme todo somos apresentados ao jovem e a diversas situações que brincam com o nosso imaginário, seja a mãe do personagem que começa a sangrar de repente ou o ao foto dele achar que um médico cego seria seu pai.


Não entrarei em detalhes de como interpretei ou das formas que o filme podia ser entendido, o final mostra que o paciente sofreu um acidente de carro, e foi socorrido pelo personagem de Ewan McGregor. No acidente morreram a mãe, o pai e a namorada do rapaz, e ele ainda perdeu o anel de noivado que iria entregar a sua namorada antes do acidente. Ele também,em certo momento, teve um delírio com todas as pessoas que estavam em sua volta, nesse ponto também podemos fazer uma relação com Mágico de Oz, só que nesse caso foi a forma que o rapaz enxergou o mundo antes da morte. Acredito que o nome está relacionado à passagem da vida do rapaz para a morte. Recomendo, mas já aviso: alugue e com tempo porque vai ter de voltar o filme para prestar a atenção nos detalhes.


Postado por: Fábio Campos
Frito em 26 de setembro de 2008
0 comentários
PASTEL SEM RECHEIO

Nota do pasteleiro: /5

PASTEL SEM RECHEIO – Rambo IV


Ele é um ator conhecido. (eu disse conhecido, e não ‘bom’), já recebeu um oscar por melhor roteiro. Já viveu um caminhoneiro e um lutador de boxe, e ultimamente, vestiu, novamente, a aclamada faixa vermelha ao redor da cabeça. Stallone!
Ok, não podemos deixar de assumir que o homem estrelou filmes divertidíssimos, mas até onde eles deixam de ser SÓ divertidos e se tornam filmes bons?
Pegue-mos, como exemplo, Rambo IV
Deus!Rambo IV. É incrível!!! Todos os garotinhos fãs de Rambo esperavam por esse momento!

Um filme incrível, onde todas as falas do nosso querido protagonista podem ser contadas com os dedos da mão direita, personagens estreantes na série agem de forma misteriosa ou não-criativa! Selva, selva, demonstrações de força bruta, e mais selva!
E como poderia esquecer. Tiros!!! Balas certeiras, balas perdidas, balas antiaéreas, no vilão, no pai do vilão, em seu avô, em seu cachorro. Balas!

Um ótimo filme, se você tiver um QI atrofiado. Mais muito divertido.
Gostoso de ver, mas sem nada dentro. É o nosso Pastel de Vento.

Pastel de Vento é escrita por Luis Fernando o clone brasileiro do Johnny Deep.

Postado por: Fábio Campos
Frito em 25 de setembro de 2008
0 comentários
MODA DA CASA

Nota do pasteleiro: /5

A MODA DA CASA – Dupla de Policias Diferentes

Quando vocês vão à locadora para pegar um filme de ação policial e se depararam com as seguintes situações/sinopses/capas: geralmente dois policias (que são bem diferentes) tem que trabalhar juntos para resolver um caso. Bem, isso já virou um gênero específico de filme e as diferenças entre os personagens não passam da cor, raça, idade, condição social e por ai vai. São muitos os filmes que exploram esse conceito, portanto abaixo vou listas alguns filmes que tem essa mesma dinâmica.

Máquina Mortífera (1°, 2°, 3° e 4°) – Esse já é clássico e com certeza o filme do gênero que mais fez sucesso. Aqui somos apresentados a dois parceiros bem diferentes, de um lado temos o Roger Murtaugh (Danny Glover) policial negro, mais velho, pai de família e que segue o sistema e do outro lado temos Martin Riggs (Mel Gibson) um policial mais jovem e aventureiro, solteiro (isso até o 3° filme) e cabeça quente. Seja enfrentando policiais corruptos, traficantes de drogas ou a máfia chinesa essa franquia foi uma das que mais fez sucesso nesse tipo de filme.


Bater ou correr (1° e 2°) – Nesse filme que mistura velho oeste com filmes de luta, Jackie Chan é um guerreiro que vai ao resgate de uma princesa e no caminho encontra um bandido atrapalhado do velho oeste. Aqui a grande diferença além dos princípios é a diferença cultural.


48 horas (1° e 2°) – Esse filme é bem antigo e conta com a participação do ainda novato Eddie Murphy, que interpreta um malandro obrigado a cooperar com um policial durão (Nick Nolte), dessa vez as diferenças além da cor são as condições do bandido e do policial.


A Hora do Rush (1°, 2° e 3°) – Aqui temos novamente as diferenças culturais como foco, desta vez os parceiros são um policial negro americano e um agente chinês, claro que falou em personagem chinês temos Jackie Chan no filme, e Chris Tucker como seu parceiro.



Seven – Esse filme que é o preferido de muita gente, trabalha de forma mais sutil a questão da dupla de policiais, sendo Morgan Freeman o policial negro e experiente e Brad Pitt o jovem cabeça quente.


Prova de Fogo – Adam Sandler em inicio de carreira interpreta um bandido, que para variar é muito azarado, que se envolve com um policial infiltrado durante a operação que iria prender o chefão do crime organizado. O personagem de Sandler sem querer atinge a cabeça do policial infiltrado.

Anos depois os dois têm que trabalhar juntos novamente. Claro que no final o Sandler se torna uma pessoa melhor mais isso a gente já sabia. Detalhe, o parceiro de Sandler é o astro do seriado que vive passando no SBT: EU a patroa e as crianças.


Showtime – Eddie Murphy faz novamente um filem do gênero dupla policial, só que desta vez pegou um parceiro mais sério. Nessa comédia Eddie Murphy contracena com Robert De Niro. Aqui o caso é que eles estão fazendo um reality show, Murphy é o palhaço e De Niro o policial durão. Novamente o contraste do policial branco com o negro e de estilos.


Divisão de Homicídios – Se o tema é futilidade e policia temos outro exemplo. Com a participação do veterano Harrison Ford, que interpreta um policial e corretor de imóveis que tem de investigar um assassinato, para isso conta com a ajuda de um jovem policial aspirante a ator. Isso tudo se passa em Los Angeles. Aqui a grande diferença é a idade.

O último grande herói – Essa é uma sátira dos filmes de ação e, claro, não podia faltar uma dupla de policiais. Em uma das cenas do filme vemos uma clara alusão a este clichê, porém, a dupla principal do filme é Jack Slater (Arnold Schwarzenegger) e Danny Madigan (Austin O’Brien) esse tipo de parceria, entre uma criança e um adulto, pode parecer exclusivo de comédias mas já aconteceu em outros filmes, como veremos logo abaixo.

Um tira e meio – Esse filme só pelo roteiro é ridículo. Um policial interpretado por Burt Reynolds, tem de ser parceiro de um garotinho negro de 8 anos de idade, que é testemunha de um crime, e só vai colaborar se for promovido a tira. Não sei o que é pior, o policial que teve de engolir isso ou Burt Reynolds que aceitou esse papel. Olhem a capa, esta em baixa resolução mais é muito ridícula.


Miss Simpatia 2° – Se uma dupla de policiais negros e brancos e de durões com policiais bonzinhos dá certo, porque não juntar as duas coisas em uma franquia que já existe? Essa foi a idéia de Miss Simpatia 2, só não entendo uma coisa, como pode a personagem de Sandra Bullock, que era agressiva no primeiro filme (conceito esse explorado durante o filme todo) ter se tornado uma dondoca fraquinha?


Duro de Matar 3° – Duro de matar sempre foi uma franquia de sucesso, que mostrou o personagem principal sofrendo diversas adversidades, ta certo que tinha muita ação forçada e cenas com muito clichê. Porém achei que usaram o tom errado nesse filme, tiraram toda aquela preocupação do personagem com a família e os brilhantes coadjuvantes para explorar a pareceria do policial junto a um civil pareceu uma cópia mal sucedida de Maquina Mortífera. O personagem de Samuel L. Jackson ficou perdido na história, feito um cara azarado jogado no roteiro.



K-9 – Voltando as bizarrices temos James Belushi atuando com um cão. A dupla até que forma uma química legal, até foi um clássico da sessão da tarde. Anos depois quiseram fazer um segundo filme com Belushi já gordo e recebendo ajuda de uma parceira feminina para ele e uma para o cachorro… Esse é um exemplo de clichê que vou falar futuramente… Todo personagem tem uma contraparte feminina.


Dragnet – Desafiando o perigo: Esse é um filme “sessão da tarde” também, estrelado por Tom Hanks interpretando um policial bonachão com um comportamento fora dos padrões e Dan Aykroyd que interpreta o policial certinho. É legal, tem várias situações e com certeza é uma das boas comédias da época.


Uma dupla quase perfeita: Não foi só James Belushi quem teve um parceiro canino, como nada se cria, tudo se copia, esse filme segue a mesma linha do K-9, só que no caso este cão não é treinado pela policia, era um cachorro cujo dono havia sido assassinado..Além de terem tido coragem de matar o cachorro no final, coisa rara em filme desse gênero.


Bem essa foi comprida e devo ter esquecido alguns, quem lembrar algum, posta nos comentários.


Postado por: Fábio Campos
Frito em
0 comentários
Massa de Pastel

Nota do pasteleiro: /5

MASSA DE PASTEL – Milo Ventimiglia e Sylvester Stallone


Os atores selecionados essa semana são tão parecidos que atuaram como pai e filho no filme Rocky, mas agora estão diferentes, já que Sylvester Stallone encheu a cara de botox. Mais ele e Milo Ventimiglia são muito parecidos, afinal só com a boca torta e as fracas atuações já enxergamos as semelhanças (só falta o Milo tomar uns anabolizantes).

Veja ai o Stallone quando tinha só a boca torta.

E aqui embaixo o Milo “interpretando” Peter Petrelli.


Postado por: Fábio Campos
Frito em 24 de setembro de 2008
0 comentários
PASTEL DE QUEIJO

Nota do pasteleiro: /5

PASTEL DE QUEIJO – Cena do Quase Inocente

Essa semana o Pastel de Queijo vai tratar de filmes em que o bonzinho é cruel.

Você me pergunta – Como assim? E eu respondo: Há algum tempo atrás os roteiristas quiseram inovar colocando um personagem que parece inocente na trama, sendo o culpado, porém como tudo que é diferente é copiado assim se deu origem a vários filmes com as mesma técnicas,mas para dar um toque extra, os roteiristas vem utilizando outro recurso, o de revelar somente no final da história a natureza dos “bonzinhos” e assim deixando muitos deles impunes. Acompanhando a cena temos sempre uma música de suspense. Isso é um exemplo de inovação que virou clichê. Vou listar alguns filmes em que haja cenas parecidas (na relação estão filmes bons e ruins), vamos lá:


Duas Faces de um crime: Um brilhante advogado vai defender um coroinha acusado de matar um arcebispo. Passamos o filme todo desconfiados do coroinha, que aos poucos nos convence que é uma pessoa perturbada sofrendo de abusos por parte desse mesmo Arcebispo. A cena do tribunal é espetacular e o final, descobrimos ser o coroinha (Muito bem interpretado por Edward Norton) verdadeiro culpado.

Amigo Oculto: Nesse filme, estrelado pela eterna garotinha assusta Dakota Fanning, é narrada a relação de uma garota com seu pai, interpretado por Robert De Niro. Durante todo filme a garota parece perturbada, falando de seu amigo imaginário Charlie. Somente no final do filme descobrimos que na verdade Charlie e o pai da garota são a mesma pessoa. No fim, como não podia faltar, há cenas de flashback explicando o motivo do pai ter desenvolvido dupla personalidade.

Crimes em Primeiro Grau: Nesse filme vemos Ashley Judd repetindo a parceria com Morgan Freeman (haviam atuado juntos em beijos que matam). O filme mostra um militar que foi acusado de cometer diversos assassinatos de civis durante uma missão, no decorrer do filme a personagem de Ashley, tentando livrar o marido da corte, após várias reviravoltas ela consegue, apenas para descobrir que o marido era realmente o assassino. É legal reparar que a cena é sempre a mesma, com a pessoa só percebendo quando está sozinha com o assassino ou próximo do mesmo.

Revelação: Esse filme é uma mistura bem estranha de suspense e terror. O engraçado é ser um dos raros filmes em que vemos Harrison Ford como vilão. Nesta história somos apresentados a um casal feliz cuja esposa começa a ter visões e ser assombrada pelo espírito de uma jovem. O marido, um famoso cientista se parece preocupado com a esposa. No final do filme temos a revelação de que o marido traia a esposa com uma jovem, e pior, matou a pobre coitada. E então estão explicadas as aparições.


A Janela Secreta: Filme estrelado por Johnny Depp conta a história de Mort Rainey, um escritor em crise que certa noite recebe a visita de John Shooter, um caipira que acusa Depp de ter roubado sua história.

Dão-se aquelas seqüências de perseguição e suspense até, por fim, descobrirmos que o caipira era só uma mera outra personalidade do protagonista. Vilão não existe, protagonista é o vilão e todos nós ficamos surpresos(ou fingimos que ficamos).


A estranha perfeita: Nesse péssimo filme estrelado por Bruce Willis e Halle Berry, somos apresentados à uma jornalista cheia de princípios que se infiltra numa firma com o objetivo de descobrir o assassino de uma amiga. A história tem vários furos, mas com certeza o pior é o final. Quando descobrimos que a verdadeira assassina é a jornalista que infiltrou-se na firma apenas para incriminar o patrão, além disso, a tentativa de nos fazer engolir uma possibilidade de continuação, que ainda bem não veio.



Justa Causa: Também um filme sobre advogado, porém esse já está mais na onda de Silêncio dos inocentes. Um professor de direito (Sean Connery) batendo de frente com um xerife (Laurence Fishburn) a respeito do caso de um rapaz negro acusado de estuprar e assassinar uma jovem. À medida que a investigação segue acabamos nos apegando ao jovem que está sentenciado a morte, para no final descobrirmos que ele é um assassino.



Os Suspeitos: Um dos primeiros filmes a ter esse tipo de roteiro, apesar do personagem Verbal não ser um típico exemplo de bom rapaz. Somos apresentados a incrível narrativa dele e ao temível Kaiser Sosa, que no fim (adivinha) são mesma pessoa. A reação do personagem de Chazz Palminteri, é a mesma que a de quem está assistindo ao filme. Segue abaixo o trecho final do filme.

Observaram que legal vários filmes com a mesma cena só que trabalhadas de maneira diferente? Encerro com uma frase que demonstra bem a natureza dessa cena, ela é dita por Kevin Spacey no final do filme Os Suspeitos.

“A maior artimanha do diabo foi a de convencer o mundo de que ele não existe.”

Postado por: Fábio Campos
Frito em 23 de setembro de 2008
0 comentários
PASTEL DE BANANA

Nota do pasteleiro: /5

PASTEL DE BANANA – Robert DeNiro


Bom, essa semana vamos falar de outro ator veterano que pagou um mico e, para variar, estava fazendo um filme-desenho animado antigo com atores reais e personagens de animação.

O ator é Robert De Niro, conhecido por brilhantes atuações, recebendo cinco indicações na categoria de Melhor Ator, por Taxi Driver (1976), Franco Atirador (1978), Touro Indomável (1980), Tempo de Despertar (1990) e Cabo do Medo (1991). Venceu por Touro Indomável.

O filme em questão é o seguinte: “As aventuras de Alceu e Dentinho”, nesse longaque mistura atores e desenhos, podemos ver Robert De Niro como Fearless Leader, ou Líder Cruel. Segue abaixo um vídeo com o mico do ator:



A Sinopse desse filme é:

Rocky, o esquilo voador, e seu amigo Bullwinkle estão vivendo em Frostbite Falls, às custas do repasse de cheques de direitos autorais sobre a re-exibição dos episódios de sua antiga série de televisão. Enquanto isso, em Pottsylvania, Fearless Leader (Robert De Niro) e seus notórios espiões Boris Badenov (Jason Alexander) e Natasha Fatale (Rene Russo) conseguem escapar do mundo de desenho animado e renascem como personagens em carne e osso, no mundo real. O trio segue então para Hollywood, onde pretende pôr em prática um plano para conquistar o mundo, forçando Rocky e Bullwinkle a deixarem a paz de seu lar para travar o duelo final com Fearless Leader.


Só quero deixar claro que não acho um mico contracenar com desenhos, mas é preciso um roteiro de qualidade para o mesmo.

Postado por: Fábio Campos
Frito em 22 de setembro de 2008
0 comentários